terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Confiram agora algumas das expressões em inglês mais utilizadas nos finais de ano.

1. Tirar férias: take a vacation
Ex.: I take a vacation in December. [Eu tiro férias em dezembro.]
2. Ficar a noite toda na Internet: stay up all night on the Internet
Ex.: I’m on vacation. I can stay up all night on the Internet. [Eu estou de férias. Posso ficar a noite toda na internet.]
3. Dar um tempo (fazer uma pausa): take a break
Ex.: I decided to take a break from college and do some traveling. [Eu decidi dar um tempo para a faculdade e viajar um pouco.]
4. Recesso de natal: Christmas break
Ex.: How long is the Christmas break this year? [Qual a duração do recesso de natal este ano?]
5. Divertir-se: have fun
Ex.: Let’s have fun and enjoy Christmas time. [Vamos nos divertir e aproveitar a época de Natal.]
6. Ir às compras: go shopping
Ex.: We go shopping two days before Christmas. [Nós vamos às compras dois dias antes do natal.]
7. Ceia de natal: Christmas dinner
Ex.: The Christmas dinner will be on the farm. [A ceia de natal vai ser na fazenda.]
8. Trocar presentes: exchange presents

Ex.: People exchange presents and celebrate. [As pessoas trocam presentes e comemoram.

Dicas do professor Ricardo Marcel.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Excelente oportunidade para empreendedores aprenderem o Inglês!

Empresas do Start-Up Brasil terão curso gratuito de inglês


A plataforma de ensino online de idiomas LinguaLeo fechou uma parceria com o programa Start-Up Brasil e a aceleradora Wayra para auxiliar empreendedores a aprimorarem o inglês. O acordo prevê um ano de acesso gratuito ao novo curso “Inglês para Startups” lançado na plataforma e vai funcionar como mais um passo do programa de aceleração das startups do Start-Up Brasil. Todas as empresas aceleradas pela Wayra (inclusive as que não fazem parte do Start-Up Brasil) também terão direito ao curso.
O número de empreendedores que não falam inglês de fato é significativo e esta é uma deficiência enorme para uma empresa do mercado de startups. Na semana passada, quando estava na conferência Case, conversei com um expositor de uma empresa americana que lamentou ter tido pouca interação com os participantes do evento porque a maioria dos empreendedores não falava inglês.
Segundo a LinguaLeo, o curso que será oferecido para as empresas do Start-Up Brasil foi lançado também na Rússia e Turquia. Consiste em um o programa de três cursos com vídeos, áudios, diálogos e exercícios que aborda temas do ecossistema de startups como a construção de um Canvas (ferramenta para criação de um plano de negócios) e o processo de busca de investimentos. O vocabulário ensinado pelo curso prioriza o que é necessário para os empreendedores interagirem com outros empreendedores, clientes, parceiros e investidores.
Fonte: blogs.estadao.com.br

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Sobram vagas com salários de até R$ 10 mil na área de TI.

Uma das carreiras do momento é a do profissional de Tecnologia da Informação. Faltam candidatos que dominem tecnologia e programação de computadores, e sobram vagas no mercado de trabalho.
Quem se forma nessa área já sai praticamente com emprego garantido. E a média de salário é de R$ 8 mil a R$ 10 mil. Mal pisa fora da sala de aula e já consegue emprego. Porque essa área que é conhecida pela sigla TI hoje em dia está presente em quase tudo que use informática, computador. Falta desses profissionais mostra como a formação de mão de obra no país ainda é precária.
Sabe aquele aplicativo que você não vive sem? Pode ter nascido em um laboratório de inovação. Nele trabalham os profissionais de tecnologia da informação, ou TI. Onde tem tecnologia, tem uma mãozinha deles.
“O nicho onde ele pode trabalhar é desde uma empresa agrícola desenvolvendo software, de uma empresa que desenvolve tecnologia para hospital, empresa que desenvolve tecnologia para outras empresas, desenvolve páginas web, aplicativos para celulares. Então, o campo é muito vasto”, analisa Fábio Lubachesky, professor de jogos digitais.

André Matui, por exemplo, é aluno de tecnologia em jogos digitais. Ele está desenvolvendo um game educativo. Por enquanto é só um estágio, mas ele já faz planos. “Eu quero ter a minha empresa de jogos digitais porque é o que vai me deixar mais feliz. Eu sei que vai ser mais complicado, mas é uma coisa que eu sei que vai valer a pena”, planeja o estagiário
A expectativa de ter um emprego garantido quando se formar foi o que atraiu Weslly Akatuka de Oliveira. “A partir do primeiro semestre, a gente já passa a receber bastante e-mail com proposta de vagas. Então é difícil um aluno, no final do curso estar desempregado. Eu não conheço. Muito difícil mesmo”, afirma o estudante.
Se não faltam opções de trabalho, falta gente para trabalhar. A procura por profissionais de TI está cada vez maior, mas as universidades e cursos de tecnologia não têm conseguido abastecer o mercado. E é por causa desse desequilíbrio que já está sobrando vaga nessa área.

Um levantamento de uma associação ligada à tecnologia mostra que em, em 2012, já havia um déficit de 50 mil profissionais de TI.
Os analistas de sistemas eram os mais difíceis de achar: correspondiam a 30 mil das vagas em aberto. O estudo ainda prevê que, em 2022, vão faltar cerca de 408 mil profissionais da área de TI no Brasil.
Em uma empresa, eles são responsáveis pelo meio de campo entre o serviço de táxi corporativo e os clientes. Desenvolvem, por exemplo, aplicativos para o celular. Mas encontrar alguém qualificado para trabalhar leva o dobro do tempo que demora para achar um funcionário de outra área.
É por isso que o RH está sempre contratando profissionais de TI, mesmo se não tiver vagas. “Preferimos às vezes trazer e até aumentar um pouco o quadro do que correr alguns riscos às vezes, de ficar 70 dias sem alguém em uma operação que eu preciso ter alguém ali programando todos os dias”, conta Anderson Ocanha, gerente de Recursos Humanos.
Tem empresa que leva mais de dois meses para preencher uma vaga na área de Tecnologia da Informação.
Fonte: Bom dia Brasil
Atualizado em 07/11/2014 11h11

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Designer de web é o mais bem pago da categoria no Brasil. O profissional com outro idioma fluente fica com cerca de R$ 3,1 mil; intermediário, R$ 2,1 mil; básico, R$ 2,1 mil; só com o português, R$ 1,8 mil.














Dentro da área de design, o profissional que trabalha com criação para web é o mais bem remunerado do Brasil, segundo estudo da Catho. Metade do top 10 dos melhores salários está dentro dessa subcategoria.
A maior remuneração entre os designers do Brasil está com o Gerente de Web Designer, que recebe, em média, R$ 8,7 mil por mês. Depois dele ainda estão Coordenador de Criação Web (R$ 5,3 mil), Supervisor de Criação Web (R$ 4,5 mil), Analista de Web Design (R$ 2,9 mil) e Web Designer (R$ 2,2 mil).
Só então aparecem as outras áreas: produto, estilismo e modelagem, produção de jóias e criação (que fica nas duas últimas posições).
Em relação a gênero, os designers masculino e feminino têm salários praticamente idênticos, com o primeiro recebendo ligeiramente menos: cerca de R$ 2.024,76 contra R$ 2.085,67. Já o profissional com MBA pode ganhar até 93,77% a mais que o que só tem ensino superior completo.
Em média, quem tem MBA recebe R$ 4 mil; com pós-graduação, R$ 3,1 mil; ensino superior, R$ 2 mil. Quem não cursou uma faculdade fica na faixa de R$ 1,4 mil. O profissional com outro idioma fluente fica com cerca de R$ 3,1 mil; intermediário, R$ 2,1 mil; básico, R$ 2,1 mil; só com o português, R$ 1,8 mil.

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/pro/noticia/45011/45011

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Invista em sua carreira, fale inglês com fluência e torne-se um profissional apto a disputar as melhores vagas!

Brasil perde oportunidades por falta de domínio do inglês, diz especialista.

Apesar de o número de pessoas estudando inglês no Brasil ter crescido, o domínio do idioma ainda deixa a desejar, segundo especialistas e pesquisas na área. "Várias oportunidades foram perdidas pelo Brasil por falta de profissionais com domínio do inglês", afirma Rone Costa, gerente de desenvolvimento da Cambridge ESOL Examinations no Brasil. "Eram empresas que tinham projetos no país, mas acabaram optando pela Costa Rica e Argentina para levar projetos para lá por falta de mão-de-obra qualificada."
Em se tratando de fluência, o Brasil atualmente perde para cinco países da América Latina no índice mundial de proficiência em inglês feito pela Education First (EF). Entre 2007 e 2009, mais de 2 milhões de estudantes de inglês de 44 países foram avaliados, e os brasileiros ficaram na 31ª posição, no limite entre as categorias "proficiência baixa" e "proficiência muito baixa". O Brasil perdeu para Argentina, México, Costa Rica, Guatemala e El Salvador, além de Malásia e Arábia Saudita.

Fonte: G1 Educação.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

O professor Ricardo Marcel da as dicas de como se organizar para aprender inglês!

Dicas para alavancar sua carreira e vida pessoal aprendendo inglês!


Pergunte-se:

*Porque você precisa aprender Inglês? 

Seja claro a respeito do por que você precisa agora mesmo aprender inglês. Você precisa para o trabalho? Para ajudar a conseguir um emprego? Para se comunicar com falantes nativos? Para ajudar você nos estudos? Para viajar?


*Qual nível você deseja atingir? 

Você quer ser bom na compreensão… leitura… escrita…

*Tenha uma imagem clara de si quando tiver alcançado a tão sonhada fluência. 

O que vê? O que você ouve? Como você se sente? Como as outras pessoas e empresas olharão para você após isto.


*Matricule-se em um bom curso

Se não for possível, crie situações onde você poderá usar o inglês. Procure alguém que lhe dê suporte, pode ser um amigo que domina o idioma ou seu professor.


*Busque oportunidades de aprender e usar o inglês. 

Fale inglês sempre que puder, ouça rádio e CDs em inglês, leia e escreva em inglês. Se você procurar por oportunidades, você as encontrará.


*Anote as palavras e frases novas em um caderno

Fique com ele o tempo todo. Dessa forma você poderá consultar nas horas de folga.


*Pratique, pratique e pratique…

Há uma expressão em inglês que diz “Se você não quer esquecer então use”. Isso é verdadeiro em se tratando do aprendizado de um idioma estrangeiro.


*Procure um parceiro de estudos.

Procure alguém para estudar com você. Converse com ele (a), envie mensagens em inglês. Encontre parceiros de estudos nos seguintes links: Facebook, LiceMocha, Skype ou Twitter.


*Aprenda um pouquinho todo dia.

Crie o hábito de estudar inglês 30 minutos por dia, é muito melhor do que estudar apenas de 2 a 4 horas por semana no seu curso.


*Para concluir, ao iniciar o seu período de estudos, faça a seguinte pergunta: O que eu quero aprender hoje? Ao final dos estudos, pergunte novamente. O que eu aprendi hoje?



“Faça uma autoanalise de como está seu nível se você tem se esforçado para melhorar, se você tem estudado o bastante e se realmente está colocando o aprender como uma prioridade. Se vocês seguirem estas dicas com certeza encontrarão a alegria de aprender este maravilhoso Idioma Global e mais usado no mundo Globalizado, chamado o Idioma Inglês.”

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Para estudar Turismo é preciso falar mais de um idioma?

Você tem vontade de fazer um curso de Turismo e trabalhar fora do Brasil, mas, não sabe falar outra língua além do português? Será que isso será um problema para você?


Note o comentário:
O turismólogo lida com público bastante variado. Pode trabalhar na organização de eventos, em agências de viagem, com hotelaria e com diversas modalidades de turismo, como o ecoturismo, turismo de negócios, turismo de saúde, entre outros. Trabalhando em qualquer uma dessas áreas o bacharel em Turismo terá que se relacionar com estrangeiros. Nesse sentido, é desejável que ele domine mais do que a sua língua natal.
É fundamental o aprendizado de pelo menos mais um idioma, para quem pretende trabalhar fora do país. Inglês e espanhol são línguas que abrem muitas portas no exterior. Dependendo onde você deseja trabalhar, também pode ser importante saber falar francês, italiano, alemão e até mandarim (chinês).
Não é necessário que você domine todos os idiomas citados. Comece aprendendo o mais universal nos dias de hoje: o inglês. Analise a possibilidade de, junto com a sua graduação, fazer um curso dessa língua.


quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Inglês é diferencial na hora de garantir emprego ou uma promoção!

Mesmo quando o idioma não é exigido, ter a fluência pode fazer a diferença. 


Com a grande competição que existe no mercado de trabalho, quem fala inglês, sai na frente, no momento de ser contratado. E em Marília, SP, quem já está na empresa, leva vantagem nas avaliações para receber um aumento. "Nós normalmente avaliamos isso, colocamos em pauta quando precisamos promover alguém e umas das nossas preferências é quando a pessoa fala mais uma língua", declara a governanta de hotel Maria Carolina de Azevedo.
Mesmo para os cargos em que o inglês não é uma exigência, o candidato que domina bem esse idioma pode sair na frente dos concorrentes. Falar bem o inglês não é exigência para trabalhar na recepção de um hotel em Marília. Apenas um funcionário por turno precisa dominar a língua estrangeira. Na opinião de Eduardo Melo, esse foi o diferencial para conquistar a vaga. "Precisamos saber outras línguas para ter mais fluência no meio de trabalho, tanto na recepção de um hotel como em qualquer outro lugar", destaca o recepcionista.
E há quem decida investir no aprendizado para ajudar na própria profissão. Quando o analista de sistemas Leandro Pompilio foi contratado para trabalhar em empresa no setor de informática nem imaginava que o inglês faria diferença no dia a dia dele.
"Com todas as ferramentas que utilizamos na empresa, percebi que aprender o inglês me ajudaria bastante a entender o que cada menu representa e ler cada funcionalidade. Além dos menus, dos termos técnicos, existem várias mensagens que são em inglês também e pra você entender o que ela quer dizer precisa saber um pouco da língua", afirma.
Já o segurança William Lemes de Oliveira não fala fluentemente o inglês, mas arriscava algumas palavras quando trabalhava em Balneário Camboriú e precisava atender os turistas. Agora, quer investir na língua. "Creio que muito mais oportunidades surgirão. Em qualquer outra área, acho que é essencial falar fluentemente outro idioma."
A analista de Recursos Humanos Daniela Pires ressalta que só não vale mentir no currículo para conquistar uma vaga, já que na hora da entrevista, os conhecimentos do candidato são colocados à prova. “O risco que a pessoa corre é na entrevista, porque se passar que tem conhecimento durante o processo ou até mesmo já dentro da empresa e for averiguado que não tem, conta como um ponto negativo”, orienta.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

English Classroom 463 - Microcamp ABC English Course

This is a English classroom in a specific record about Valentine's Day and this classroom has only 5 months, and pupils already have a good performance to talking and dominating the English, here in the Microcamp ABC English Course the method is based in Modern Conversation and modern Grammar, and the Professor: Ricardo Marcel also uses his personal method of modern English from UK and USA to instruct English in all conditions of the daily routines and professional routines.